probuntu

Just another WordPress.com site

Lista de Links (Variados)

leave a comment »

Written by Marcello

maio 21, 2013 at 6:42 pm

Publicado em Ensino, Física, Linux, Programação

Sincronizador de Favoritos no Ubuntu

leave a comment »

Muitos devem ter passado pela seguinte situação: “Tenho dois computadores em casa e durante minha pesquisa, salvei provisoriamente um link nos favoritos. Quando fui retomar a pesquisa em outro computador… Qual era aquele link mesmo?”

São diversos os aplicativos que tem disponível no mercado que podem auxiliar o usuário para essa tarefa. No entanto, para quem usa o Mozilla Firefox no Ubuntu Linux basta somente acessar a página do Xmarks e iniciar os procedimentos:

já na página do Xmarks clique em Download Xmarks e baixe o conteúdo.

Não preocupe-se com a versão, pois automaticamente a página reconhece o plugin adequado.

Provavelmente, por questões de segurança, seu navegador, por padrão, pode bloquear a instalação direta do plugin, permita o download do xmarks e continue.

Ao confirmar a instalação, será solicitado reiniciar o navegador. Reinicie para dar início a configuração.

Normalmente, quando o navegador abre, automaticamente aparece uma caixa informando que o Xmarks foi instalado pedindo para ser configurado com seu nome de usuário, senha e email. Neste caso é só “criar uma conta” preencher os dados, ir para a próxima etapa que consiste na forma com que será feito a mescla dos favoritos, clicar e marcar as caixas onde consta “mesclar dados do servidor com o computador” e “primeiro baixar os seus favoritos do servidor para posteriormente fazer upload dos favoritos do computador para o servidor”.

Caso não se apresente automaticamente este procedimento padrão, basta ir Ferramentas>Configurações do Xmarks. Aparecerá uma caixa.

Clique em Assistente de configuração e abrirá outra caixa pedindo seu nome de usuário e senha. No entanto, você ainda não tem esses dados. Precisará criar. No final da caixa tem a opção “crie uma nova conta”. Clique e faça seu cadastro com o nome de usuário, senha e e-mail. Será enviado para seu email, um link de confirmação.

Uma vez confirmado, é só clicar em “sincronizar agora” na caixa “Configurações do Xmarks”. É provável que ele peça a ordem de sincronização. Esta deve ser a que já foi explicada. Ele pedirá sua senha e id. Basta digitar e dependendo da quantidade de favoritos, demorará um pouco.

Bom proveito!

 

Written by probuntu

julho 13, 2012 at 5:32 pm

Publicado em Utilitários

SQL: Instalação e teste do MYSQL e do POSTGRESQL.

leave a comment »

Criar um banco de dados com MySQL

1.instalar o servidor MySQL.

no terminal, digite:
$ sudo apt-get install mysql-server

Será solicitado que você digite uma senha para o acesso ao banco de dados.

Terminada a instalação,vamos iniciar o mysql. No terminal, digite:
$ mysql -u root -p
Digite a senha que cadastrou na instalação.
Entrou no Sistea Gerenciadorde Banco de Dados.
Utilizando os comandos  do SQL poderemos criar ou alterar  um banco de dados.
Importante: todos os comandos devem terminar com ponto e vírgla(;).

Para criar uma base de dados,digite:
# create database biblioteca;

Para visualiar as bases de dados existenes você deve digitar:
# show databases;

Acesse a sua base criada:
# use biblioteca;

Para ver as tabelas dentro de uma base de dados você deve digitar (aqui aida não temos tabelas criadas, por isso o resultado será nulo, mas, já guarde isso, mané):

# show tables;

OBS:Não importa a quebra de linha, o comando só temina quando você digitar o ponto e vírgul(;) . Se qiser encerrar aquele comando que começou em alguma linha anterior digite \c.

Para criar uma tabela:
# create table Generos(
idGenero int(6) auto_increment primary key,
genero varchar(30));

Criamos uma tabela com nome Generos. Colocamos uma coluna com seu tipo inteiro e como primeira chave. Colocamos outra coluna chamada Genero, com seu tipo varchar.

Para criar a tabela Autores:
# create table Autores(
idAutor int(6) auto_increment primary key,
nome varchar(50),
nacionalidade varchar(30),
historia blob);

Para a tabela Livros:
# create table Livros(
idLivro int(6) auto_increment primary key,
titulo varchar(60),
genero int(6),
autor int(6),
idioma varchar(20),
ano char(4),
foreign key (genero) references Generos(idGenero),
foreign key (autor) references Autores(idAutor));

Repare que nas últimas linhas alinhamos as chaves com os respectivos índices nas outras tabelas.

Podemos digitar
# describe;
ou
# desc;
para analisar a estrutura de cada tabela, como:
# describe Livros;
# desc Autores;
# desc Generos;

Preencheremos as tabelas com o comando INSERT. Deixando a tabela Livros por último pois, carrega os índices das primeiras:

Todos os generos:
# insert into Generos (genero) values (‘Romance’),(‘Terror’),(‘Aventura’), (‘Legislação’), (‘Física’) ,(‘História’), (‘Geografia’);

Um autor:
# insert into Autores (nome, nacionalidade, historia) values (‘Machado de Assis’, ‘Brasileiro’,’Joaquim Maria Machado de Assis (21 de junho de 1839 — 29 de setembro de 1908) foi um escritor brasileiro, amplamente considerado como o maior nome da literatura nacional’);

Outro autor:
# insert into Autores (nome, nacionalidade, historia) values (‘Eça de Queirós’, ‘Português’,’José Maria Eça de Queiroz (Nasceu em 25 de novembro, de 1845, na cidade portuguesa de Póvoa de Varzim.) Vida Artística ‘);

Mais um autor
# insert into Autores (nome, nacionalidade, historia) values (‘Raymond Aron’,’Francês’,’Raymond Aron (Paris, 14 de Março de 1905 – Paris, 17 de Outubro de 1983)Filho de um jurista judeu, Raymond-Claude-FerdinandAron recebeu seu doutorado em filosofia da história em 1930. Como professor na Universidade de Colônia, na Alemanha, ele assistiu à ascensão do nazismo. Quando a Segunda Guerra Mundial começou, em 1939, era professor de filosofia social na Universidade de Toulouse e alistou-se na Força Aérea Francesa.’);

Muito importante : Sempre digitar antes de sair da sessão o comando
# COMMIT;
Para validar todas as alterações realizadas.

Falta preencher a tabela Livros.
Precisamos utilizar o comando
# SELECT;
para acessarmos os valores dos índices que serão utilizados nessa tabela.

O comando SELECT pode ser utilizado para fazer uma consulta geral como:
# Select * from Generos;

Ou, para ver apenas determina(s) coluna(s):
# select nacionalidade from Autores;

Para selecionar os autores com suas nacionalidades:
# select nome, nacionalidade from Autores;

Selecionar somente os códigos e nomes dos autores:
# select idAutor, nome from Autores;

Para fazer registro na tabela Livros:
# insert into Livros (titulo, genero, autor, idioma, ano) values (‘Memórias Póstumas de Brás Cubas’,1,1,’Português’,1881′);

commit;

Fontes:
http://analisedesistemas.wordpress.com/2011/01/19/criando-um-banco-de-dados-em-mysql-ubuntu-10-10/
https://help.ubuntu.com/11.04/serverguide/mysql.html

fim mysql.

MYSQL WORKBENCH

Para Instalar o o IDE  mysqlwoskbench, utilizado pelo SOFTBLUE,  precisaremos acrescentar um repositório. O site do workbench tem o arquivo.deb para o ubuntu 11.04 ou abaixo. Quem utiliza outo mais recente faça como descrito aqui.

$ sudo add-apt-repository ppa:olivier-berten/misc

$ sudo apt-get update

$ sudo apt-get install mysql-workbench-gpl

Fonte:
http://danielcorrea.me/blog/item/132-mysql-workbench-no-ubuntu-1110.html

Fim mysqlworkbench.

POSTGRESQL

$ sudo ap-get install postgresql-9.1

Depois de instalado iremos colocar uma senha para o usuário postgres, criado por default. Comece digitando:

$ sudo -u postgres psql postgres

agora troque a senha:
$ \password postgres

Agora temos um
usuário: postgres
diretório home: /var/lib/psql
senha: que vc criou

Digie para sair do postgreesql:
$ ctrl+d

Sofri um pouquinho o próximo passo para entar novamente.
Aprendi a alerar para que ele não inicie com o sistema.

Inicie o banco com:
# service postgresql initdb
E coloque-o pra não  iniciar junto com o sistema com:
# chkconfig postgresql off
Inicie o serviço postgresql com:
# service postgresql start

Bom utilizar os comandos do postgree devemos digitar :
$ su – postgres

No entanto ele não aceita a senha.
Podemos também começar criando uma base de dados:
$ createdb bedrock

Ele continua não aceitando a senha.

Tive que alterar a senha do usuário postgres, como se ele fosse um usuário home do ubunu(coloquei a mesma senha de quando crei a senha do postgres para evitar problemas, tenho que estudar mais isso):
$ sudo sudo passwd postgres

pronto, agora vai:
$ su postgres

Crie uma base de dados(já como usuário linux postgres):
$ createdb bedrock

Conecte-se à base de dados:
$ psql bedrock

# \c bedrock
You are now connected to database “bedrock” as user “postgres”.

Criar uma tabela:
# create table empreendimento (Nome char(20),Departamento char(20),empregoTitulo char(20));

Inserir dados:
# INSERT INTO empreendimento VALUES (”,’Quarry Worker’,’Rock Digger’);
INSERT 0 1

# INSERT INTO empreendimento VALUES (‘HOMER SYMPSONS’,’Controle de radiação’,’Auxiliar ‘);

INSERT 0 1

# INSERT INTO empreendimento VALUES (‘Lenin’,’Finanças’,’Analista ‘);

INSERT 0 1

# INSERT INTO empreendimento VALUES (‘Karl’,’IT’,’Gerente ‘);

# SELECT * from employee;

Beleza a fonte(yolinux) abaixo, tem mais opções,como criar usuários,deletar basededados etc.

fontes:
https://help.ubuntu.com/community/PostgreSQL
http://ubuntuforum-pt.org/index.php?topic=23202.0
http://www.yolinux.com/TUTORIALS/LinuxTutorialPostgreSQL.html

Written by andrefis

maio 20, 2012 at 8:53 pm

Instalação do OpenProj como ferramenta de Gestão de Projetos

leave a comment »

O OpenProj é uma ferramenta opensource, multiplataforma empregada para gestão de projetos. É de fácil uso e não necessita ser um usuário avançado para dispor de seus recursos como gráficos gantt,  por exemplo.

Usaremos como referência, o sistema operacional Big Linux Ubuntu.

Download do programa auto-instalável (.deb): (Essa versão é a 1.4.2)

Depois do programa baixado, é só clicar que automaticamente a instalação se iniciará. Ao final do processo deve-se ir em Menu > Escritório > OpenProj e clicar no ícone. A abertura do programa será:

Deve-se clicar em aceitar. A próxima tela será:

Quem quiser criar o registro, só inserir o e-mail nessa caixa e dar ok. Feito isso, a próxima tela é só algumas explicações sobre a operacionalidade do programa.

A próxima tela é o início do programa perguntando se queres criar um novo projeto ou abrir um já existente. Escolha abrir um novo projeto e inicie seu aprendizado nessa poderosa ferramenta. Até o próximo post!

Written by Marcello

abril 22, 2012 at 8:10 pm

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.